Foto Colunista

POR Danielle Ribeiro

Olha o cajado!

Colunas / 25.07.16

Há mais ou menos um ano, uma amiga me falou sobre um negócio chamado Youtuber. Eu, avoada como sou, não tinha lá muito conhecimento de como funcionava esse mundo virtual. Mais particularmente, essa minha amiga estava se referindo a Youtuber Julia Tolezano e eu perguntei sobre o que ela tanto falava nos vídeos e minha amiga respondeu: sobre a vida! Devo confessar que demorei, mais ou menos, um mês pra realmente ter interesse em ir procurar os vídeos, foi numa dessas crises de abstinência de Game of Thrones provavelmente.

O primeiro vídeo que assisti foi o lendário “Não tira o batom vermelho”, seguido de “9 coisas que vocês não sabem sobre nós” e então “Certezas na adolescência”. Quando reparei já tinha assinado o canal, já tinha seguido ela no Facebook, Twitter e Instagram e estava desesperada querendo saber se essa criaturinha do céu tinha Snapchat. Assim começou meu relacionamento platônico com a Jout Jout e que se arrasta até esse momento.

Se antigamente adorávamos pessoas intocáveis, protegidas pelo altar da mídia, creio que os dramas da vida moderna fizeram a gente querer se aproximar de pessoas mais humanas, com crises, traumas e dúvidas semelhantes aos nossos. Afinal, é reconfortante saber que aos vinte e tantos anos aquela criaturinha do vídeo também não sabe muito bem o que fazer da vida, ou descobrir de repente, que eu também estive em um relacionamento abusivo sem nem me dar conta, ou que, assim como eu, ela também não consegue entender a dinâmica do Tinder, e assim vai.

Mas acho que o mais importante que aprendi depois de tantos vídeos, foi a sorrir das minhas paranoias, afinal, sou uma pessoa jovem e como tal devo me dar o direito de ter medos e errar de vez em quando também, não faz mal. Assim como a Jout aprendeu a deixar de drama com o Caio (namorado), eu aprendi o mesmo com ela, e acredito que uma porção de gente também. Não tem nada que assuste mais nossos medos e inseguranças do que não os levar a sério. E se por acaso, eles continuarem insistindo, aproveite sua bad – sábio conselho da Jout! Se entupa de sorvete, cachorro quente, brigadeiro e pizza, zere o Netflix, chore ouvindo Nando Reis, passe o dia de pijama e no outro dia, trate de aprender que tudo passa.

Sempre gostei dessas pessoas que escrevem “sobre a vida”, pois não há nada mais complicado e emocionante do que isso. As coisas tão óbvias que a gente até se esquece de falar, os conselhos que parecem vindo da sua melhor amiga, o namorado anti-bads, o feminismo que nos ajuda a lutar pra sermos mulheres todos os dias, a dificuldade de ser fã de Gilmore Girls, está tudo lá nos vídeos e agora no livro. Acredito que agora Martha Medeiros e Maria Ribeiro estão espremidas no meu coração por causa da nova moradora. E vai saber, depois desse texto talvez eu até mereça um abraço que só a Jout sabe dar.

____________

Danielle Ribeiro é administradora que, atualmente, trabalha em uma cervejaria. Acredita no destino, se apega a tudo que traz leveza e encontra conforto em forma de prosa ou poesia no final do dia.

_____________________________________________________________

Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do Site BH. Possibilitamos que o leitor conheça opiniões diversificadas sobre os assuntos em pauta nas mídias sociais. Sempre iremos expor visões diferentes para que o leitor se questione, questione o mundo ao seu redor e, principalmente, corra do senso comum. Quer ver o seu texto por aqui? Mande para redacaositebh@gmail.com

Seja o primeiro a curtir.

Uma resposta para “Olha o cajado!”

Deixe uma resposta

*

ARQUIVOS

BH NO INSTAGRAM

FOLLOW @BARBARAHELLEN

BH NO FACEBOOK

www.000webhost.com