Foto Colunista

POR Bárbara Hellen

Respeite que o outro é diferente de você

Colunistas / 10.05.16

Conversando com colegas de trabalho, chegamos a uma conclusão: a maioria dos problemas de relacionamento poderiam ser solucionados se nós tivéssemos mais respeito com o outro. Respeitar suas opiniões, seu modo de encarar a vida, suas escolhas, sua maneira de ser, de reagir, de pensar… Seria tudo mais leve se simplesmente respeitássemos que o outro é diferente da gente.

Já senti na pele o que é querer mudar o outro. E também já senti na pele o que é alguém querer me mudar. E a segunda opção foi bem mais difícil do que a primeira.

No fundo, sempre temos um impulso de achar que nossos amigos seriam mais felizes da maneira como achamos apropriado. No fundo, fingimos que queremos o bem do outro. Mas, na verdade, só queremos o que é mais confortável para a gente. Desconfio que seja até uma maneira de facilitar a nossa própria aceitação com a maneira como levamos a nossa vida.

O que é interessante é que quando realmente acreditamos que estamos caminhando na direção correta, os outros caminhos tornam-se desinteressantes. Mas, até chegar a esse patamar, precisamos conhecer novos ambientes, pessoas e até novas atitudes. Reconhecemos o que somos, o que queremos ser e até o que nos faz (ou não) bem.

A maioria dos jovens já teve essa fase. A fase de viver a vida louca, beber muito, chegar depois do horário que a mãe permitiu… Dar aquela resposta atrevida aos pais, experimentar drogas ou beijar mais de um em uma noite. Muitos precisam viver isso, viver o limite de tudo para se encontrar. Alguns vivem isso tudo porque é essa a maneira como viver torna-se agradável. Outros preferem os livros ou ficar em casa jogando no computador até 4 da manhã.

Dentre as diversas possibilidades que a vida propõe, experimentamos o que vai nos tocar e possibilitar uma nova visão de vida. Cada pessoa, com seu próprio modo de viver, encontra maneiras de se encontrar. E é por isso que querer impor uma maneira de viver pode ser, na verdade, uma maneira de atrapalhar o caminhar do outro.

Se você achou o seu caminho, fique nele. Se ainda não encontrou, siga o seu rumo. Mas independente do caminho que você esteja, respeite que o outro tem o seu próprio caminho. E que, na maioria das vezes, caminhar junto é observar de longe o outro caminhar.

____________

Bárbara Hellen é jornalista. Trabalha como editora-chefe do site BH e coordenadora de conteúdo do portal tvguara.com. Troca qualquer coisa por um bom livro ou um sábado na praia. Tagarela e cheia das opiniões, adora conversar sobre política e religião… Ou sobre qualquer outra coisa. Ama Fernando Pessoa e cai no clichê ao crer que sim, tudo vale a pena se a alma não é pequena.

_____________________________________________________________

Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do Site BH. Possibilitamos que o leitor conheça opiniões diversificadas sobre os assuntos em pauta nas mídias sociais. Sempre iremos expor visões diferentes para que o leitor se questione, questione o mundo ao seu redor e, principalmente, corra do senso comum. Quer ver o seu texto por aqui? Mande para redacaositebh@gmail.com

Deixe uma resposta

*

ARQUIVOS

BH NO INSTAGRAM

FOLLOW @BARBARAHELLEN

BH NO FACEBOOK

www.000webhost.com