Foto Colunista

POR Andressa Valadares

Por que não sabemos conviver?

Colunistas / 04.12.15

(Trilha sonora: Imagine – John Lennon)

Estima-se que existam 7 bilhões de pessoas no mundo. 7 bilhões de pessoas que, não importa quantas civilizações passem, nunca aprenderão a conviver. Digo isso porque, se você parar para analisar não só os últimos acontecimentos, mas também parte dos fatos que fazem parte da nossa história passada, você acaba chegando à conclusão que um dos principais – senão o principal – problema da humanidade é não saber lidar com os diversos agentes ao seu redor.

Não pretendo aqui fazer análise profunda de nada. Mas, em uma rápida pesquisa no Google, constatei que os principais e piores conflitos mundiais surgiram, em suma, da incapacidade do ser humano em conviver com o outro, incluindo nesse outro as suas ideias, riquezas, crenças, potenciais. Enfim, com aquilo que vai além do nosso próprio umbigo.

O mais impressionante é que, passe o tempo que for, ninguém aprende nada. Não se aprende com as milhares de mortes ou com toda a dor causada. Não se aprende com a destruição. Com a devastação. Com a intolerância. Com toda a violência. A história, realmente, vira uma eterna repetição.

Ao fim e ao cabo, acabamos nos acostumando. Acostumamo-nos com a tragédia, com a intolerância, com todas as mazelas. A gente aprende a achar normal tudo isso. É… Mas, não devíamos.

O pior é que trazemos essa incapacidade em lidar com o contrário, o divergente e o diferente para o nosso cotidiano. Para as nossas pequenas guerras diárias. Na linha de frente do combate, um batalhão de egos armados até os dentes de hipocrisia, repudiando a existência do contrário ou de qualquer coisa que não seja aquilo em que se acredita.

Se todos nós soubéssemos conviver, quase nada viraria motivo de embate. E isso não quer dizer que você deva anular sua individualidade. Mas sim que cor, raça, riquezas, religião, crença ou a falta dela nunca estariam entre os principais motivos utilizados para se ceifar a vida.

Ninguém é obrigado a nada. Mas, tem que respeitar. É imperativo. E respeito, meu amigo, é um produto que, há muito, está em falta nas gôndolas da humanidade…

________________

Andressa Valadares é jornalista e socióloga de botequim. Acredita no delírio cultural em massa de que a aparente posição do sol, relacionada com as constelações na hora do seu nascimento, de alguma forma afeta sua personalidade.

___________________________________________________

Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do Site BH. Possibilitamos que o leitor conheça opiniões diversificadas sobre os assuntos em pauta nas mídias sociais. Sempre iremos expor visões diferentes para que o leitor se questione, questione o mundo ao seu redor e, principalmente, corra do senso comum. Quer ver o seu texto por aqui? Mande para redacaositebh@gmail.com

Seja o primeiro a curtir.

Deixe uma resposta

*

ARQUIVOS

BH NO INSTAGRAM

FOLLOW @BARBARAHELLEN

BH NO FACEBOOK

www.000webhost.com