Foto Colunista

POR Bárbara Hellen

Deixem os solteiros em paz

Colunistas / 19.08.15

Apesar de todas as modernidades, aparentemente ainda somos uma sociedade feita para a reprodução. Os manuais avisam: chega um momento da vida que você terá que se aquietar e formar uma família. Imagine só quão confuso é quando você, uma pessoa normal, gente boa, com variadas qualidades, continua solteiro! Nesse momento toca uma sirene e seus amigos e familiares comprometidos, por motivos de compaixão ou só pena mesmo, resolvem que está na hora de você arrumar alguém. Não importa que você não queira, não importa seus planos, não importa seu momento: você vai ter que aguentar e aceitar com um sorriso no rosto todas as tentativas de ajuda. Porque senão, além de solteiro, você será considerado ingrato.

O show de horror da busca por um pretendente é até engraçado quando você olha de longe. É mais ou menos assim: aquele homem desinteressante passa a ser um bom partido que você não deve deixar escapar a oportunidade. Aquele seu amigo de anos, mas que é só amigo, também pode ser uma opção – talvez, o amor pode estar no seu lado. E basta passar um homem bonito na sua frente para que você receba aquela cutucada seguida do comentário: “você viu como esse homem é um gato? Perfeito para ti”.  Todas essas tentativas são acompanhadas de conselhos: “pare de ser exigente. Não importa que ele seja petista, odeie praia e deteste cachorro. Olha: as pessoas não são perfeitas, viu?”. É, eu percebi mesmo que as pessoas não são perfeitas…

Como você está solteira, é natural que você saiba sobre a vida de todos os seus ex. Mesmo sem você perguntar. Não importa se foi há sete anos. O que importa é que você deve saber de tudo que ele faz. Por que será que as pessoas insistem em repassar relatórios? Nunca entendi essa parte.

E quando você começa a conhecer uma pessoa nova? As pessoas entram em êxtase. E logo perguntam: “mas e aí, vai dar namoro?”. Não sei, porque só fiquei com essa pessoa uma vez. Paralelo a isso, você vai conhecer todo o passado da pessoa. E o passado do ex da pessoa. E mais conselhos: “Não se apega não. Vai devagar. Deixa rolar. Mas ele já comentou sobre namoro?”. É amigo, respire fundo.

Livros de autoajuda não são nada comparado a tudo que ouvimos das amigas quando um rolo não vai para frente: “Não era para ser. Tudo no tempo de Deus. O negócio é não procurar, aparece quando você menos espera”. Ah sim. Você também vai receber frases motivacionais sensacionais que servirão de apoio.  Serão aquelas que falam que tudo que vai volta, que Deus está preparando algo melhor e outras sobre desapego. Mas também tem aqueles que vão dizer: “a culpa deve ter sido sua. Tu complica demais. Fica procurando a pessoa perfeita”. É esse o problema mesmo, amiga.

É interessante perceber que para algumas pessoas “ser solteira” pode ser uma bagagem para lá de difícil de carregar. É como se o rótulo da solteirice decidisse se você é ou não uma boa pessoa, ou se você é ou não normal. Por que é assim? Tenho amigas que não conseguem ficar sozinhas e necessitam de uma companhia. Ok para elas, não é errado. Mas não há erro também em estar solteiro. E aqui não importa quantos anos você tenha.

A vida do outro é completamente do outro –  por mais que a gente saiba de alguns detalhes e versões, nunca saberemos de fato o que acontece, o que o outro deseja, qual é o problema e qual seria a solução. Talvez algumas pessoas sonhem com a metade da laranja, com uma conchinha no fim de domingo. Mas também há aquelas que estão satisfeitas em curtir a ressaca do domingo acompanhadas de um pote de sorvete. Outras estão só curtindo o momento e buscando, da sua própria maneira, ser feliz.

Deixem os solteiros em paz. Curtindo as suas tentativas, buscando seus próprios pretendentes, saindo, viajando ou só aproveitando o tempo livre para ler um bom livro. Pare de perguntar sobre a vida pessoal do outro, é inadequado e mal educado. Quando você olhar uma pessoa bacana, não precisa sair correndo para avisar aquela “amiga solteira”. Simplesmente, pare. Se a sua amiga estiver afim e precisar da sua ajuda, ela vai te procurar. Nós juramos que quando estivermos namorando, iremos marcar aquele tão sonhado double date. Mas, até lá, apenas deixem os solteiros em paz. Por favor.

_____________

Bárbara Hellen é jornalista. Troca qualquer coisa por uma boa conversa, um bom livro ou um sábado na praia. Ela admite: é tagarela, cheia das opiniões, perfeccionista e organizada. Adora conversar sobre política, mercado de trabalho e religião. Otimista, crê que tudo vale a pena se a alma não é pequena.

_____________________________________________________________

Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do Site BH. Possibilitamos que o leitor conheça opiniões diversificadas sobre os assuntos em pauta nas mídias sociais. Sempre iremos expor visões diferentes para que o leitor se questione, questione o mundo ao seu redor e, principalmente, corra do senso comum. Quer ver o seu texto por aqui? Mande para redacaositebh@gmail.com

5 respostas para “Deixem os solteiros em paz”

  1. Adooorei!!! Tudo o que os não solteiros precisam ler!!!

  2. E o interessante que essa cobrança, em geram, é maior para as mulheres solteiras…como sempre!

Deixe uma resposta

*

ARQUIVOS

BH NO INSTAGRAM

FOLLOW @BARBARAHELLEN

BH NO FACEBOOK

www.000webhost.com