Foto Colunista

POR Augusto Barros

Período de Reestruturação

Colunas / 01.06.15

* Entrevista por Bárbara Hellen

Site BH – O que o Governo tem feito em relação à segurança pública?

Um grande trabalho de reestruturação. O sistema público de segurança estava desfasado sobre vários aspectos: contingentes baixo de policiais, equipes que precisam ser modernizadas, criação de um ambiente de meritocracia e de um trabalho pautado por metas. Para ter metas, nós precisamos de estatísticas, de outros indicadores, mas nós não temos uma estrutura que forneça ainda de forma adequada esses indicadores. Você só consegue uma solução a partir de um diagnóstico preciso. Se não temos um diagnóstico preciso, aí não conseguimos criar uma solução. E é nesse aspecto que está sendo feito.

Por exemplo, o próprio Corpo de Bombeiros está fazendo agora sua lei orgânica, a Polícia Militar ganhou um pouco de dinamismo com a aceleração de algumas promoções e a aposentadoria de alguns coronéis – isso gerou uma oxigenação na base  – e a Polícia Civil aumentou sua estrutura, chamando excedentes do último concurso. Nós estamos criando uma estrutura com três novas superintendências: a de Prevenção e Combate a Corrupção – que já começa a trabalhar ainda com uma estrutura anterior, de Investigação – de Homicídios e Proteção a Pessoa, que também será ampliada – vamos dividir a área metropolitana de São Luís em quatro grandes áreas, que vão receber atenção específica de quatro delegados só para crimes de homicídio.

Também a superintendência de Combate às Drogas. Temos hoje uma estrutura muito tímida com 12 policiais apenas com obrigações de fazer a fiscalização e combate efetivo ao tráfico de drogas em todo Estado.

Queremos ampliar a estrutura e também fazer com que essas estruturas nasçam, não apenas administrativamente, mas também materialmente. E para isso nós precisamos de algum tempo para essa estruturação.

Site BH – Em quanto tempo esse trabalho vai ser feito?

Esse trabalho é um trabalho de anos. Nós dependemos de concursos públicos para diminuir essa defasagem tremenda de efetivos – somos o Estado com menor efetivo policial. Precisamos de alguns meses para capacitar essas pessoas e manter essa política de capacitação, para que tenhamos pessoas investigando os crimes que mais afligem a população, principalmente homicídios e latrocínios. Precisamos capacitar nossos profissionais de inteligência, para que a nossa rede de inteligência se espalhe e a informação transite de forma mais rápida em todo Estado.

Hoje se discute muito a sensação de insegurança e nós acreditamos que isso é principalmente carreado pelo grande sistema de mídia contrário ao atual Governo. Isso é um problema para nós, profissionais de segurança pública, pois nossas ações não são vistas corretamente pela população. Para dar um exemplo disso, se você acessar o site da Secretaria de Segurança, você pode ir na parte de estatísticas e clicar na aba de homicídios, e lá você vai poder ver uma série de gráficos que mostram que desde 2012 para cá, nós tínhamos um viés de subida a cada ano. Esse ano, três meses foram abaixo do ano passado.

Site BH – E essa estatística foi feita por quem?

Essa estatística é feita a partir do Sistema Integrado Operacional, que é um sistema administrado pela Polícia Civil e pelo CIOPS, da Polícia Militar. Nós fazemos a coleta de informações e ficam disponibilizadas ao público. Essas mesmas informações alimentam o Ministério Público. É totalmente transparente o processo, nós não temos como esconder: se foi um mês ruim, uma semana ruim, tá lá.

Site BH – Você argumentou que esse ano o índice deu uma caída, mas como pode ser explicado esse aumento da taxa de crimes nos últimos anos?

É um fenômeno mundial. Nós vemos um acréscimo da violência na grande maioria dos Estados, alguns índices por hora diminuem, mas costumam aumentar. Hoje, nós temos um país hoje caracterizado pelos grandes bolsões de pobreza, muita periferia, um sistema educacional falho, ausência de política pública para se criar hospitais, centros populacionais, planejamento desordenado dos espaços públicos, favelização crescente que é própria do sistema capitalista. Nesse ambiente é que o crime cresce.

Essas falhas se casam com o poder financeiro do narcotráfico. O narcotráfico hoje é o tipo de crime que puxa todos os outros índices. Muitos dos assaltos são feitos para que o proveito desse crime acabe se tornando também um investimento em drogas. Os pequenos assaltos, como de celulares, normalmente são para consumo ou para compra de drogas. Assim como as grandes quadrilhas, hoje em dia, diversificam seus investimentos. Nós temos várias quadrilhas de assalto a banco, a cargas, que se dedicam também ao tráfico de drogas. Para ganhar territórios de tráfico, há guerras de poder. Para cobrar dividas, é cobrada com sangue, matam para mostrar que não toleram calote. Esse código da violência acaba se espalhando pela sociedade.

Site BH – E em relação a qualificação dos policiais, vai haver alguma modificação?

Revemos as nossas prioridades e hoje elas são: aumento da apreensão de armas e drogas, diminuição nos crimes violentos para haja uma sensação de segurança na comunidade. Para isso, é necessário a capacitação em várias frentes diferentes. Inclusive de combate a corrupção. A corrupção é sim talvez a maior praga no que diz respeito a fazer nascer essa quantidade enorme de distorções sociais que nós temos.

Site BH – Existe alguma coisa que a própria população possa fazer para mudar a situação da segurança pública?

A segurança pública é muito mais ampla do que apenas polícia. Quando a gente fala que um bairro sem educação é um bairro sem segurança, não falamos apenas porque a polícia não está lá. Ali nós temos a falta da presença do Estado em outras manifestações. E aí sim volta para a sociedade a missão. Nós temos um Estado que ainda não oferece todas as oportunidades e aí é redobrada a força dos pais, da família, que precisam voltar suas atenções e denunciar as coisas ruins.

Por outro lado, nós precisamos zelar pelas boas práticas. Ainda temos índices elevados de acidente de trânsito, nos civilizar no trato pessoal – e aí a questão educacional volta à tona – e também acompanhar as atividades. Se você vê um bandido assaltando, raramente você vai ter alguém se interessando em filmar. Mas se você vê um policial fazendo uma coisa errada, normalmente muitas câmeras são apontadas para ele. A gente acha bom, pois nós também temos essa missão, de elevar o padrão e melhorar a qualidade policial e os procedimentos. Mas a população também pode fazer parte disso, com o Disque Denúncia, o 190. Às vezes, as pessoas não querem se envolver e deixam de levar as autoridades diversos tipos de informações que seriam importantes para a solução e prevenção de crimes.

Site BH – E voltando ao Sistema Carcerário, o que tem sido feito?

Dentro do plano de administração penitenciária, há sim a necessidade de expansão. Já existem presídios em construção, alguns em fase avançada, alguns do Governo passado que estão sendo finalizados agora e há também projetos de ampliação, para regionalizar ao máximo os presídios. Iremos regionalizar para que o preso cumpra pena perto da cidade onde ele mora, atendendo até uma exigência da lei de execuções penais, e também tirar outro gargalo da Polícia Civil, de investigadores de polícia fazendo custódia de presos em delegacia. Isso compromete o trabalho.

Assim, vamos tirar presos da delegacias, botar os investigadores para a rua e que hoje é tudo dificultado pela divisão de custódia de presos. Há também a contratação de servidores, já que 70% dos servidores são terceirizados e isso afeta na qualidade do serviço.

Site BH – Em uma visão otimista, daqui para o final do mandato de Flávio Dino a população já vai conseguir sentir uma diferença em relação a segurança?

Eu acho que hoje já sente. Os números hoje são favoráveis, isso já é uma realidade. E obviamente, dentro de 4 anos, teremos a estabilização em patamares menores desses índices. Eu acredito que no ano que vem já teremos eleições municipais bem diferentes devido às ações contra agiotagem. Ano que vem teremos um ótimo termômetro. A segurança de rua depende dos profissionais que estão chegando para fazer o monitoramento ostensivo e acreditamos que isso vai trazer uma sensação maior de segurança. Mas isso também depende dos meios de comunicações, pois temos visto muitas campanhas contrárias e difusão distorcida de certos eventos. Ainda assim,  acreditamos sim que ao fechar de 4 anos, teremos um ambiente bem diferente e a população vai sentir isso.

__________________

Augusto Barros Neto é delegado-geral do Maranhão. É formado em Direito (UFMA) e pós-graduando em Cidadania, Direitos Humanos e Gestão em Segurança Pública. Foi delegado de Mirinzal e Santa Helena, chefe do Departamento de Combate a Roubo de Cargas e chefe do Departamento de Operações Táticas Especiais. Atuou também como superintendente de Investigação Criminal e superintendente da Superintendência Estadual de Investigação Criminal (Seic).

_____________________________________________________________

Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do Site BH. Possibilitamos que o leitor conheça opiniões diversificadas sobre os assuntos em pauta nas mídias sociais. Sempre iremos expor visões diferentes para que o leitor se questione, questione o mundo ao seu redor e, principalmente, corra do senso comum. Quer ver o seu texto por aqui? Mande para redacaositebh@gmail.com

Seja o primeiro a curtir.

4 respostas para “Período de Reestruturação”

  1. O problema na segurança pública realmente não pode ser visto de forma isolada, ele envolve uma série de questões paralelas, como por exemplo a educação.
    Mas o importante é não se acovardar e continuar tentando melhoras as políticas públicas existentes.
    Tenho esperança …

  2. Espero que as propostas sejam realmente concretizadas! E sei que necessita tempo para corrigir os erros e omissões passados e que a colaboração de todos é imprescindível! Mas também sei que é uma luta árdua e que deve ser tida como prioridade absoluta pelos Governos Estadual e Municipal.

Deixe uma resposta

*

ARQUIVOS

BH NO INSTAGRAM

FOLLOW @BARBARAHELLEN

BH NO FACEBOOK

www.000webhost.com